Além da Superfície
< Voltar para home page

Cotidiano

Saiba como funciona a logística de transporte dos funcionários para as plataformas

Os funcionários chegam até as plataformas via helicópteros

Os funcionários chegam até as plataformas via helicópteros

O setor de óleo e gás brasileiro tem grande parte da sua operação feita em alto-mar, principalmente agora com o pré-sal. Para que seja possível a exploração e produção de petróleo e gás natural, as plataformas de petróleo são transformadas em pequenas cidades flutuantes aptas a receberem seus, em média, 150 funcionários.

Muito distantes da costa, as plataformas recebem seus suprimentos e funcionários por duas vias principais: marítimas, por onde chegam alimentação e equipamentos, por exemplo; e por ar, já que os funcionários chegam via helicópteros. Samuel Cunha, gerente de Logística & Suporte Operacional da Total E&P do Brasil, explica que a logística consiste em três pilares básicos: a base de apoio, barcos e helicópteros. A base é a responsável por armazenar materiais e carregar os barcos com os suprimentos para as plataformas. Alguns desses barcos têm deques para transporte de carga com dimensões comparáveis a de duas quadras de basquete e garantem o estoque alimentício, peças para manutenção e demais equipamentos. Os helicópteros, responsáveis pelo transporte humano, são máquinas possantes e que têm maior autonomia para garantir a segurança dos passageiros.

A importância dos aeroportos na logística do setor de óleo e gás


Inaugurado em 1971, o aeroporto de Jacarepaguá tem recebido investimentos nos últimos anos oriundos indiretamente do setor de óleo e gás. Cunha explica que desde a descoberta do pré-sal, a demanda local tem aumentado consideravelmente e, hoje, cerca de 85% dos 150 voos por dia têm destino offshore, principalmente na Bacia de Santos. Com esse aumento no fluxo de voos e passageiros, o aeroporto de Jacarepaguá vem passando por melhorias nos terminais e pistas. Já o aeroporto de Macaé, inaugurado em 1980, também tem ligação direta com o setor de óleo e gás, mas com destinos opostos. Diferente do de Jacarepaguá, é responsável pelo transporte até as plataformas localizadas na Bacia de Campos.

Últimas novidades